Juntos Somos Mais

Povos antigos e algumas culturas mantêm o vínculo de comunidade onde se reúnem para os rituais de passagem como o nascimento de um bebê, passagem para a vida adulta, casamento, morte. Tendo um espaço para cada um compartilhar os desafios e alegrias de tais momentos. Todos são amparados por todos!

Atualmente com a facilidade dos meios de comunicação, talvez tenhamos contato com mais pessoas, porém muitas vezes é superficial. Fomos perdendo o senso de reunir e falar sobre o mundo interno, sobre o que nos aflige e quais são os desejos mais profundos de nossa alma.

Tenho observado como os trabalhos em grupo são muito interessantes! É incrível como cada pessoa traz uma vivência própria e muito rica, cada medo ou insight, tudo é bem vindo e acrescenta a todos. No fundo, todos nós temos uma parte do outro.

Aos poucos o grupo vai se fortalecendo, maior confiança e maior liberdade entre as pessoas, simplesmente com a constatação de que somos iguais. Estamos aqui para aprender, trocar, crescer!

Podemos descobrir o nosso mundo interno através das palavras do outro. É comum usarmos máscaras, para escondermos algumas faces e quando nos damos conta que podemos tirá-la neste lugar seguro e desfrutamos desta sensação que é mais leve; é possível levar para o mundo externo o “Eu Real”, quem sou verdadeiramente.

Quando podemos expressar nossos sentimos e sensações recebendo um olhar amoroso, há uma possibilidade de cura ainda maior. Ao dar o passo no sentindo da luz, abrimos a possibilidade para que mais pessoas vejam esta luz.

O campo formado pelo grupo cria um espaço fértil, onde as sementes jogadas germinam e a luz da alma pode florescer! No Ipê amarelo temos grupos de autoconhecimento: “Eu em Mim”, “Sagrado Feminino”, Grupo de Apoio ao Parto, “Maternando e Brincando”, “Constelação Familiar”, Yoga, Dançaterapia...

Qual é seu grupo? Como quem você quer crescer?

15 visualizações0 comentário