Negar a MÃE é negar a Vida

A mãe representa a Vida, se nego minha mãe, nego a vida.


Somos 50% mãe, 50% pai, se eu acho que minha mãe não é boa o suficiente e rejeito ela, é como se uma parte de mim não pudesse existir.


Vamos imaginar que a vida é como uma cachoeira jorra dos nossos pais para nós… a água da cachoeira está sempre trazendo vida. Mas se nós falamos: “essa mãe não é boa pra mim, ela não me deu carinho, poderia ter feito muito mais”


É como se a gente criasse uma barreira impedindo esse fluxo de água, ou seja impedindo o fluxo de Vida.


Os sintomas disso?


  • cansaço excessivo,

  • falta de vitalidade,

  • desgosto,

  • falta de alegria,

  • sensação de carregar o peso do mundo nas costas


Pode vir acompanhado de…


  • raiva,

  • tristeza,

  • sentimento de falta


ou


  • falta de dinheiro

  • sentir que não é abundante

  • relacionamento amoroso empacado

  • problemas com os filhos

  • insegurança


Você se reconhece em alguns destes sintomas??


Como disse Juan Garriga: “O sintoma é um despertador”, então podemos usar estes alertas para lembrar a gente de reconectar com nossa mãe.


Bora?!





Neste vídeo eu falo mais sobre a relação com a Mãe e mais abaixo vou deixar um desafio e uma meditação para você experimentar.


Lembrando que o primeiro passo é tomar consciência!


Não se julgue se ainda é difícil olhar para a sua mãe.




“Com que Coração eu olho minha Mãe?”

Como anda a relação com a sua mãe?


Bert Hellinger, criador das constelações familiares fala que:


"Como a gente se relaciona com a nossa mãe é como a gente se relaciona com a Vida…"


Será que olho pra minha mãe culpando ela por tudo que ela fez?


Dizendo que ela não foi boa o suficiente, que não cuidou de mim, que era ausente na minha infância?


Pode ser que a gente fale mas pode ser só uma atitude interna, um olhar…


Como seria você ouvir de alguém: "você não é boa o suficiente"?


Para algumas pessoas ainda pode vir o pensamento: "minha mãe é maldosa, ela maltrata as pessoas…"

"Minha mãe é fraca, não dá conta da vida dela…"


Percebe o que acontece no corpo quando temos esse olhar??


Pode ser até que num primeiro momento eu cresça me sentindo grande diante dela, mas depois vem um vazio.


Imagine como se a mãe fosse uma lâmpada que tem luz, ela te dá essa luz que é sua vida. Se você olha pra ela desse jeito é como se jogasse panos em cima dessa luz, não só ofuscando a luz dela, mas ofuscando sua própria luz.


É importante reconhecer que muitas vezes nossa mãe não é tão livre para agir de outra maneira, ela tem seus próprios desafios pessoais, suas amarras, seus medos e por isso tem atitudes que parecem inadequadas aos nossos olhos. Isso a faz humana e também nos libera pra nos reconhecermos como seres humanos.


Aí podemos despertar um novo olhar para ela e para a vida…


Enquanto estou julgando minha mãe, estou julgando tudo que acontece lá fora.

enquanto estou insatisfeita com minha mãe, estou insatisfeita com a vida, com o companheiro, com ao trabalho…


Quando começo a reconhecer o presente que minha mãe me deu, que é a Vida, e agradeço, começo a olhar a vida com outros olhos, um olhar de gratidão pelo simples fato de respirar.


Desperto um olhar de encantamento pela natureza.


Quando confio que essa é a melhor mãe pra mim, confio na vida.


Quando vejo a força que minha mãe tem pra sua vida, vejo a minha força pra viver minha própria vida. Eu vejo a força das pessoas em suas vidas…




Com que olhos estou vendo minha mãe?


Com que coração eu vejo minha mãe?


Pode ser até que sua mãe tenha morrido, mas ainda sim é possível perceber.


Fica essa reflexão, e te convido a ser sincera, sincero com você mesmo, percebendo seu olhar e é interessante escrever suas percepções pra tomar ainda mais consciência do que se passa no seu mundo interno!


Que a gente possa construir um mundo mais vivo a partir de nós.



Na prática te convido a fazer esta meditação despertando a reconciliação com sua mãe, abrindo o coração para ela aos poucos.





Outra atitude que você pode ter é escrever uma carta para ela, expressando tudo que você está sentindo e nem precisa entregar se não quiser.


Mas vale a experiência de escrever e trazer à tona os sentimentos.





Se você percebe que sua criança está muito ferida e precisando de um colo, tenho uma boa notícia! Você pode dar o colo que a sua criança precisa e não esperar ou lamentar o colo que sua mãe não te deu.


Para fazer isso, experimente fazer esta vivência:



Fique à vontade para compartilhar este texto com o outras pessoas e para me contar como está sendo sua vivência!


Que a gente possa construir um mundo mais VIVO a partir de nós!


Com amor,


Laís


Minha história com minha mãe...

Guardei muitas imagens em relação à minha mãe, só via o que eu não gostava nela, o que eu achava que ela tinha que melhorar, comparava ela com as outras mães e ainda dizia para mim mesma que quando eu fosse mãe seria diferente.


A gente brigava muuuuito...


Me emociono só de lembrar dessa Laís cruel, é dolorido assumir que eu fiz isso.


Mesmo assim ela não desistiu de mim, continuou me cuidando e me ajudando…


Fiz vários tipos de terapia, vivências de espiritualidade que inclusive, ela apoiava e pagava.


Eu não conseguia enxergar minha mãe, era como se tivesse uma casca entre eu e ela.


Aos poucos essa casca foi caindo e fui reconhecendo o AMOR dela.


Reconhecendo o Maior presente que ela me deu: a VIDA.

Reconhecendo o quanto ela é maravilhosa!


Está sempre disposta a servir e doar…


Uma vitalidade fora da curva…


Um coração gigante que acolhe todos que pedem ajuda.


Ela sabe a hora de passar a mão na cabeça ou de dar um tapinha na bunda e falar “vai”.


Empreendedora nata, cozinheira de mão cheia, leitora voraz, apreciadora da natureza, adora uma boa caminhada, jogar baralho e sentar numa mesa farta…


Essa é minha mãe!


Como é a sua?


Como seria reconhecer a riqueza da Vida que chega da sua mãe pra você?


Posts recentes

Ver tudo